Divagações

Comer ou não comer carne é uma escolha pessoal.

 

Comer ou não comer carne é uma escolha pessoal.

Fingir ignorância sobre a indústria alimentar e a indústria de animais, não. Eu mesma sou da galera que só come planta faz anos, mas continuo acreditando na importância dos animais em um sistema agrícola saudável.

Sim. É um tema controverso e difícil falar sobre isso sem ser superficial, pois é algo muito mais profundo do que muita gente pensa, e que infelizmente leva as pessoas à beira do fanatismo cego – de ambos os lados.

Mas deixando as escolhas de lado ( que devem ser discutidas sim, pois toda escolha é uma ação em direção à algo – mas sobretudo, respeitadas ), não podemos ignorar aquilo que independe de comer bicho, planta ou pedra, e está debaixo do nosso nariz. Não podemos ignorar os maus tratos aos animais, não podemos ignorar nosso distanciamento em relação ao alimento, não podemos ignorar a terceirização da nossa vida e da nossa saúde dentro de um sistema que não é transparente, não podemos ignorar as monoculturas que destroem os nossos solos, os venenos que poluem nossas águas e nossos corpos.

Não podemos esquecer que quem come carnes e produtos derivados provenientes da indústria … não está comendo só “carne”. Está comendo um produto industrializado fabricado a partir de práticas, na maior parte das vezes, bastante cruéis com os animais e com o meio ambiente. Da mesma forma que grandes indústrias de produtos livres de derivados animais continuam crescendo…. com base no mesmo sistema linear de exploração do planeta, fabricação de produtos repletos de aditivos, que continuam poluindo nossos solos, percepções e corpos, gerando montanhas de lixo.

Temos que ser menos intolerantes uns com os outros, e lembrar de refletir ao invés de agredir. As pessoas precisam de informação, não retaliação. Ninguém é mais ou menos evoluído sendo intolerante. Aqui, um dos raros pratos com carne do menu da Enoteca: cabeça de porco curada e preparada por nós, de um porco de raça rústica, criado com alimentação natural, pessoalmente pelo produtor, dentro de uma propriedade agrícola orgânica familiar.

Dele usamos os ossos, os miúdos, a carne, a pele, a gordura.

Receita do @lilografite para a @enotecasaintvinsaint

2/12/2019
Comente Compartilhe
×
Contato

Rua Professor Atilio Inocenti, 811,
Vila Nova Conceição, São Paulo

11. 3846 03 84

Não aceitamos cheque - Recomendamos reservas antecipadas - Mesas acima de 6 pessoas somente com reserva prévia de menu

Compras feitas a partir do dia 18 de dezembro serão despachadas após o dia 10 de janeiro.