Divagações, Vinhos

Faça seu vinho em casa. Ou hidromel. Ou qualquer coisa. Fermente.

Quem tinha mel no quintal fazia hidromel. Quem tinha maçã, cidra. Quem tinha uva, vinho. Essa é basicamente a história de como todos os fermentados alcoólicos surgiram. Tinha, fermentava.

Aqui no paraíso tupiniquim, mesmo antes da chegada dos europeus, já existiam vinhos de jabuticaba, de caju, de abacaxi, e até hidromel. Oh yeah. Já falei muito disso por aqui, mas vou continuar falando.

E ó, cada coisa tem seu lugar. É muito mais legal um cara que tá no campo, plantando, ralando no sol pra cuidar da terra de maneira limpa, colhendo fruta e fermentando ele mesmo de maneira natural? Óbvio que sim.

Mas não é porque você não tem espaço na varanda nem pra plantar uma salsinha, que não pode “ajudar” o mundo a ser melhor. Compre de quem planta limpo e sem veneno. Compre pra cozinhar seu alimento. Compre pra fazer sua própria bebida fermentada.

Só não vem com essa de comprar uva ou qualquer outra fruta convencional e fermentar de maneira natural, dizendo que você está aí no rolê de se importar com a saúde do mundo. Pois o mundo não precisa de mais um petnat sem sulfito. Precisa de solos com menos veneno, menos monocultura, menos fertilizante sintético. Precisa de menos rótulo hipster e mais gente com a mão na massa – quer dizer, com a mão na terra.

Fora esse pequeno deslize que todo mundo já cometeu um dia de vinificar “natural” fruta convencional ( até eu mesma já fiz isso ), fazer sua bebida alcoólica em casa é bem divertido. Até pra vender mesmo, ué. Se dermos sorte no futuro vamos ter leis que permitam mais produtos artesanais legalizados.

Eu mesma conheço um bando de gente legal que começou pequenininho e hoje vinifica coisas lindas, com frutas limpas e sem nada de aditivo.

Ah. E fazer seus vinhos em casa ( de uva ou outras frutas, ou até hidromel que seja ) não impede em nada de você continuar comprando as biritas que mais gosta de quem produz como meio de vida mesmo.

Eu faço minhas biritas em casa pra beber e mesmo assim continuo gastando boa parte da minha grana em garrafas dos produtores que mais gosto.

Fora que quanto mais gente por aí fermentando alcoólicos em casa e entendendo o trampo hercúleo que dá fazer isso, mais gente por aí vai começar a valorizar a produção artesanal e limpa de vinhos. Eeeee! E todo mundo ganha.

Então é assim: conhece algum produtor de uva orgânica? Lindo. A maioria precisa de ajuda num país que não incentiva a produção limpa. Compre deles e faça seu vinho em casa. Trinta litros que seja.

Não conhece nenhum produtor de uva orgânica? Faz vinho de jabuticaba, de caju, de uvaia, de cambuci, de araçá. Faz aluá, faz hidromel.

Mora em cidade? Ah, não é desculpa né. Sem preguiça, povo. Tá sem tempo, para de tirar selfie. Vá até a feira ou o instituto mais próximo que vende direto de produtores orgânicos e faça seu “vinho” de qualquer fruta que esteja madura, na época, abundante.

Mora em lugar onde cai jaca na cabeça? Adivinha. Sim, até de jaca já fiz vinho. E deu super certo, virou um espumante delicinha.

Resumo da história? Fermentem.

Fermentem. Fermentem frutas, fermentem idéias. Vocês acabarão com alcoólicos no armário e uma boa dose de engajamento sócio| ambiental |cultural no fim de cada garrafa. 🧡

1/7/2021
Comente Compartilhe
×
Contact

Rua Professor Atilio Inocenti, 811,
Vila Nova Conceição, São Paulo

Telefone:
11. 3846-0384

WhatsApp:
11. 95085-0448

We recommend making reservations - Tables above 6 people only with previous menu reservation