Divagações, Viagens, Vinhos

Vinhos no México

Sobre vinhos mexicanos. Fazendo a lição de casa:

O México, por mais que muita gente não saiba, tem a bodega mais antiga
da América , a Casa Madero, fundada em 1574, quando, buscando por ouro,
os espanhóis encontraram uma região fértil e promissora, o tal do Valle
das Parras. Ali, começaram a fazer vinho para as missas. Hoje é uma das
bodegas grandes e comerciais, mas com inegável história. Esta até arriscando fazer vinhos orgânicos, agora ( um Cabernet Sauvignon ). Outras grandes são LA Cetto e Santo Tomás.

A história do vinho no México começa como qualquer outra dos países
colonizados da América: com os colonizadores. Aliás, a uva País ( ou
Mission, como se chama aqui ) veio primeiro pra essas bandas, entre o
que era Califórnia e México, antes de descer pro Chile, Argentina,
Bolívia. Descobri que a palavra “país” aqui significa nosso “caipira” –
tipo limão caipira, tomate caipira. Não sei se isso tem alguma coisa a
ver, mas poderia, por ser uma uva rústica do campo e dos bebedores do
dia a dia.

Produzindo desde 1570 e bolinhas, quando a Espanha
ficou sabendo que os vinhos eram de boa qualidade, fez o que? Sim, o que
toda pátria mãe faz, como fizeram no Chile e como fizeram no Brasil.
Está fazendo vinho bom? Então vamos proibir, para que o mercado interno
não se desenvolvesse e não competisse com os vinhos deles. Isso diz
muito de muita coisa hoje em dia, não? Rs… A proibição rolou de 1600 e
tanto até o começo do século 19. Ano pra caramba que os Mexicanos só
podiam fazer vinhos pra Igreja.

Hoje se produzem vinhos em
Aguascalientes, Baja California, Baja California Sur, Chihuahua,
Coahuila, Durango, Guanajuato, Nuevo León, Puebla, Querétaro, Sonora e
Zacatecas. A produção massiva está principalmente em Enseada, anos vale
de Guadalupe, San Vicente, Ojos Negros e Santo Tomás. Mas também em San
Luis Potosí, Hidalgo, Jalisco, Campeche, Guerrero, Michoacán, Tlaxcala,
Tamaulipas, Oaxaca.

Os vinhos naturais do Louis Antoine Luyt e
seu sócio mexicano Jair Tellez, aqui no Mexico estão em Tecate, a Viña
Bichi. E são com uva País.

Hernán
Cortés matou muita gente e acabou com muito dos povos que estavam por
aqui, mas pelo vinho, foi um grande cara ( me senti meio mal falando
isso agora ). Já existiam vitis aqui, silvestres, mas não se sabe se os
nativos faziam vinhos. Eram vitis labruscas, vitis rupestris e vitis
berlandieri. As viníferas europeias foram trazidas pelos espanhóis,
mesmo. Em 1524 Hernán Cortez fez um
decreto onde todo espanhol deveria plantar mil vinhas espanholas para
cada cem nativos ao seu serviço ( ok, agora eu realmente estou me
sentindo mal por falar isso). De qualquer maneira, a história nem sempre
é bonitinha. Aliás, na maioria das vezes. É o vinho, querendo ou ao,
foi nesse momento uma cultura imposta da colonização.

As
primeiras vinhas se plantaram perto da cidade do México, e os nativos a
chamavam de xocomecatl ( fruto da trepadeira ). A bebida, chamavam
tlapaloctli ( vinho que pinta ).

Em 1531, o rei Carlos
decretou que todo aventureiro que viesse pro Mexico teria que trazer na
mala videiras e olivas. E a história foi seguindo, entre jesuítas,
missionários, reis e cortadores de cabeças de nativos, a história do
vinho. Só no século 19 chegaram as videiras francesas em solo Mexicano –
também mar o meno como no Chile.

Hoje, mais de 30% do vinho
mexicano está na Baja Califórnia, onde tem mais de 80 bodegas e cerca de
400 rótulos disponíveis. O consumo de vinho no México é de 0,16 litros
por cabeça, e está pra lá da 65 posição no ranking mundial. Bebe-se
pouco vinho.

As uvas variam entre variedades francesas,
italianas e algumas espanholas perdidas. E claro, nossa querida Mission
nos vinhos mais simples.  

Uhuu.
No fim da viagem, em Cancún,  consegui achar uma loja de vinhos que tinham vinhos orgânicos e
biodinamicos mexicanos. Já na mala. Santos Brujos e La Carrodilla. Não
conheço, mas estou levando pra experimentar. Eles e mais uma dúzia de
mescal artesanal… hahahaha 

Existem mais algumas, como a Dos Buhos, que fazem vinhos naturais no México. Vou dar uma pesquisada e depois conto mais pra frente. 

30/5/2016
Comente Compartilhe
×
Contact

Rua Professor Atilio Inocenti, 811,
Vila Nova Conceição, São Paulo

Telefone:
11. 3846-0384

WhatsApp:
11. 95085-0448

We recommend making reservations - Tables above 6 people only with previous menu reservation