Comida

Cozinhamos com o que temos.

Creme de cottage, calda de erva doce, limão, folhas e flores de limão e funcho.

O cottage é feito com o leite fresco das cabras aqui de casa. A erva doce, funcho, limão e folhas de limão vieram todos da horta. Inteiros.

Usamos as folhas do limoeiro, as flores, o suco, as cascas do limão. O leite, também inteiro, pois dele foi feito queijo, soro, creme, manteiga. Essa receita não nasceu da vontade, mas da necessidade e do exercício de só usar as coisas que produzimos. Uma das coisas que sempre me perguntam é como lidar com essa questão da sazonalidade.

E eu respondo: não sei, também estamos aprendendo. Somos uma geração de cozinheiros e confeiteiros formados pelos padrões convencionais do que pensamos ser gastronomia, tentando modificar nosso modo de pensar.

Sim. É tentador repetir padrões. E estamos muito acostumados a não sair da nossa zona de conforto, e ter sempre “o que queremos” nas mãos. Nós impomos nossas vontades à natureza, aos produtores agrícolas, e acabamos sempre com as mesmas coisas, copiando e colando, com a confortável sensação de que “se tem tudo o ano inteiro”.

Mas o vazio continua, na gente e nos outros. Pois isso esconde uma infinidade de problemas: nossa desconexão com o alimento, o sistema agrícola e alimentar industrial, nossa visão sobre o papel do homem no mundo e sim, nossa visão sobre o papel dos cozinheiros no mundo. Cozinheiros brincaram de ser deuses e durante muito tempo fizeram surgir pratos de acordo com suas vontades, suas idéias, suas técnicas mirabolantes.

Mas nos esquecemos que cozinhar é um ato de afeto, cultural, político, familiar, social e ecológico. E como sair dessa zona conforto? Só fazendo um esforço tremendo para pensar fora do que conhecemos como gastronomia hoje em dia. Na maior parte das vezes, quando se respeita a sazonalidade e os ciclos naturais das coisas, não cozinhamos com o que queremos.

Cozinhamos com o que temos. E daí lembramos que toda a arte da cozinha surgiu mesmo desse lugar onde o homem se deparava com ingredientes e … não sabia o que fazer com eles. Como conservar, deixar mais gostoso, aproveitar, reaproveitar.

Aqui, receita de @leosallescf para @enotecasaintvinsaint .

#saintvinsaint

6/12/2019
Comente Compartilhe
×
Contact

Rua Professor Atilio Inocenti, 811,
Vila Nova Conceição, São Paulo

Telefone:
11. 3846-0384

WhatsApp:
11. 95085-0448

We recommend making reservations - Tables above 6 people only with previous menu reservation