Viagens

Naturebas Italianos & Eslovenos: Marco Fon

Esse é o Marco Fon. Faz vinhos na região do Carso, Eslovênia. Aquele tipo de pessoa que, quando você conhece, entende porquê o vinho é tão especial. 
Mas daí quando você está quase dizendo isso pra ele, ele vem e diz que a sua intenção é não estar presente como pessoa, como Marco Fon, em seu vinho, mas sim, se ausentar o para que o terroir do Carso se sobressaia ao homem, e consiga se expressar sem interferência. Uou. Até seus vinhos, ultimamente, não tem mais seu nome escrito na rolha: vem somente escrito “Carso”.

Itália de um lado, Eslovenia do outro. Collio italiano e Goriska Brda do outro. À direita, pra baixo, a outra região que visitamos, onde está Marco Fon: o Carso esloveno, dominado por paisagens belíssimas, natureza de extremos, sem rios na superfície ( mas vários embaixo da terra) e um vento imperativo que vem dos lados gelados da Rússia, que molda as características climáticas dali: o Burja ( se fala Buria ). O Carso é a região mais fria que toca o mar, produzindo vinho no mediterraneo. Por causa do Burja, chega a sensação de -40 no inverno. Brrrrr….

Garrafões de 54 litros, onde Marco Fon fermenta e armazena alguns de seus vinhos. 

A Malvasia é uma uva antiga, provavelmente grega, seu nome deriva do porto grego de Monemvasia, e está presente em todo o mesiterrâneo. Só na Itália mais de 10 variedades da uva, sendo a Malvasia di Candia a mais famosa. Ela também é uma das uvas que faz a fama do vinho madeira. Aqui nos vinhedos do Fon, dá origem à vinhos extraordinários e delicados – ele mesmo tem várias variedades de Malvasia no mesmo vinhedo.

Todo vinhedo é uma prisão. O estado natural da videira é subir, sempre, para o alto; é uma trepadeira. A condução, a poda, é uma prisão. Cabe a nós fazer dessa prisão uma prisão mais agradável. Marco Fon falando sobre os vinhedos….

Teran 2011. A última safra que Marco Fon fez vinho tinto Teran. Desde então, não achou que os vinhos tivessem tipicidade, e não representavam o Carso. Vamos ver em 2015. Esse 2011 é um absurdo. Acidez, produndidade, mineralidade, leveza, um perfume maduro sensualíssimo. Aff.

Vinhedos centenários pré filoxera onde Marco Fon faz seu Quatro Estações ( alusão às estações do ano e às passagens políticas e sociais que essas videiras viram: império austríaco, itália, iuguslávia, eslovenia…… ). Segundo Fon, uma videira antiga é como um idoso: ele ensina, não o contrário. Então devemos ter respeito e saber ouvir… 

Twitter do Marco Fon! A porta da sua adega. Aqui ele escreve alguns pensamentos como : deixar ou não deixar uma folha? Filosofando sobre o grau de interferência do homem no vinhedo. Quando você poda, ou mesmo tira uma folha, já está alterando totalmente o percurso natural da planta….

Quando provei pela primeira vez seu vinho, fiquei muda. Não sabia o que dizer, era um vinho sem comparativos. Quando o conheci, tive certeza que era uma das pessoas mais especiais que já havia conhecido nesse mundo do vinho. Marco Fon estava com 22 anos, estudando direito, quando perdeu seu pai. Resolveu largar os estudos, voltar para a casa da familia e fazer vinhos. Para ele, tudo se resume a como você trata a mãe natureza e como você se sente trabalhando em seus vinhedos. A escolha das castas autoctones, diz, não foi dele. Teran, Vitoska e Malvasia representam o Carso, seu território, e ele não saberia o que fazer com Chardonnay ou Merlot. Na verdade, ele tem algumas Chardonnays plantadas; mas tem certeza de que elas não queriam estar ali. Faz cultivo totalmente orgânico e vinificação natural, em garrafas de vidro de 54 litros. Tem apenas 4 hectares de vinhedo, parte arrendada ( possuir o vinhedo pra ele não faz diferença, mas cuidar dele, sim ), a maioria de Malsavia e Teran. Quem trabalha na vinha é ele e a familia, e na adega, só ele.

Teran! Uva típica da região do Carso esloveno, que também se encontra no Collio italiano e é autoctone de toda peninsula da Ístria ( que inclui Croácia, Eslovenia e algo da Itália). É uma uva tinta de personalidade forte, profunda, que alguns chamam de Refosk ( mas que provavelmente não tem nada a ver com o Refosco. Também a chamam de Terrano. É um vinho antigo e com grande tradição medicinal, por suas propriedades. É com ela que Marco Fon faz seus vinhos tintos.

Florzita da região do Carso, que “aparece” no aroma de alguns vinhos da região….. 

2014 foi uma safra beeeeem complicada para a maioria dos italianos e eslovenos que visitamos. Ano chuvoso, difícil, deu origem a vinhos muitas vezes mais magrinhos e menos expressivos. A safra de 14 não foi diferente para o Marco Fon – foi uma das piores que ele já teve. O interessante é que, segundo ele, nas safras difíceis, aí sim a mão do homem se torna necessária para contornar o que a natureza dificultou.

Filhote de Prosseco Tondo e Malvasia Bianca, essa é a Vitoska. Pronúncia no vídeo anterior. É uma uva de produção abundante, explosiva, natural da região do Carso esloveno e Friuli, na Itália. Essas são as Vitoskas do Marco Fon, com um detalhe interessantíssimo: estão vendo aquele cacho tinto ali do lado? Não, não é montagem, é a mesma planta. É que essa Vitoska foi enxertada em cima de um cavalo ( raiz para enxertia ) de uva tinta! E a gema que brotou antes do corte acabou dando um lindo cachinho tinto, no meio da profusão de vitoskinhas brancas. Como o próprio Fon brincou, Hitler não gostaria nada, nada dessa planta, misturando tudo desse jeito… Rs

Vinhedos de Vitoska, Teran e Malvasia de Marco Fon. Ah! Pra quem tem dúvida da pronúncia da Vitoska, depois tem um videozinho da Mateja explicando pra gente…. 

Malvasia, uma uva que segundo o Marco Fon, não é voltada para a terra, como a Vitoska e a Teran, também típicas de seu território – mas para o sol. E isso vai se refletir na carga aromática, etérea, leve, delicada.

E no Carso também tem pergolado! Tipo nosso latada, que muitas vinicolas aqui ainda usam. Parece que esse sistema era muito usado pelos italianos, e se espalhou em alguns cantos da Slovenia e claro, pras colônias, no séc. XVI. 

Marco diz que entendeu, depois de muito tempo, que a Teran nunca será sua melhor amiga. A Vitoska, então, é uma uva selvagem, casada com o solo do Carso, e vai sempre fazer o que quer, em vez de ouvir as coisas que ele diz. Mas a Malvasia….. Ah, a Malvasia entendeu seu amor por ela, e perdoou todos os seus erros, retribuindo o amor.
29/10/2015
Comente Compartilhe
×
Contact

Rua Professor Atilio Inocenti, 811,
Vila Nova Conceição, São Paulo

Telefone:
11. 3846-0384

WhatsApp:
11. 95085-0448

We recommend making reservations - Tables above 6 people only with previous menu reservation