Sustentabilidade, Divagações

Agricultura industrial, água, energia fóssil e biodiversidade.

gato-maior

Água.

Uma conta que muita gente esquece de fazer é quanto de água se gasta ou se polui para que alguns produtos sejam fabricados, além do óbvio gasto de energia fóssil. Cerca de 70% de toda a água está sendo minada e poluída pela irrigação intensiva exigida pela agricultura industrial: essa, por sua vez, que não alimenta diretamente as pessoas, mas alimenta na sua maioria indústrias de animais de corte e de derivados. Apenas 30% da alimentação humana provém da agricultura industrial. Ou seja, se gasta e se polui água para produzir alimentos que serão utilizados por animais de uma outra indústria que também gasta e polui ainda mais a água.

Os números são assustadores. São necessários, na indústria leiteira, cerca de 1000 litros de água para produção de 1l de leite. Já 1kg de carne requer a utilização de 15000 litros de água. O cultivo de vegetais, entretanto, demanda menos água, emite menos carbono, é mais rápido e gasta menos energia fóssil por quilo de comida: além de servir diretamente para a alimentação humana, o que não vai acumulando gastos, poluentes, desperdícios de água e energia na cadeia. Um quilo de alface, por exemplo, gasta 65 litros de água para ser cultivado – cerca de 250 vezes menos que um quilo de carne ( waterfoodprint.org ).

Energia fóssil

A agricultura industrial usa 10 unidades de energia de reservas fósseis ( petróleo )  para fabricar 1 unidade de comida. O restante que se perde no meio do caminho polui a atmosfera e desencadeia desequilíbrios climáticos. Além disso, criações industriais de animais são responsáveis pela maior emissão de gás metano do planeta, outro grande responsável pelo aquecimento global. 40% dos gases responsáveis pelo efeito estufa provém da agricultura industrial. As fontes fósseis ( petróleo ) utilizadas para a sintetização de fertilizantes químicos, funcionamento de maquinários, transporte de alimentos por milhares de quilômetros contribuem para a emissão de dióxido de carbono.

Perda da biodiversidade

Estima-se que 90% da biodiversidade agrícola tenha sido extinta por conta da agricultura industrial: centenas e centenas de espécies esquecidas e deixadas de lado por outras mais rentáveis, geneticamente modificadas e comercialmente mais viáveis. ( Who Feeds the Word, Vandana Shiva )

5/12/2017
Comente Compartilhe
×
Contact

Rua Professor Atilio Inocenti, 811,
Vila Nova Conceição, São Paulo

Telefone:
11. 3846-0384

WhatsApp:
11. 95085-0448

We recommend making reservations - Tables above 6 people only with previous menu reservation