Viagens, Vinhos

Massandra Wines: o desconhecido mundo dos vinhos ucranianos….

A cultura do vinho existe na Ucrânia desde o séc. 4 a.C. Pois é. Dorme com essa. Aposto que teve muita gente torcendo o nariz e dizendo “nossa, mas se faz vinho na Ucrânia?!”… 

…. confesso que eu era uma delas antes de conhecer, também.

Não fazia nem idéia do que se fazia na Ucrânia. Convenhamos, aqui no Brasil a gente não tem acesso a nada disso. 

O interessante é que, assim como todos os países que viveram a revolução comunista, quando você chega lá o mundo é outro. Pra gente que nasceu no capitalismo e não sabemos o que é outra coisa, é um verdadeiro choque. Pois a influência ainda é muito grande, em tudo. 

O turismo, por exemplo, está se desenvolvendo agora. E tem muita gente que ainda é contra. O inglês é falado, mas nem tanto. Tem cidade que você sofre para se comunicar, a não ser com mímica. Dinheiro, só local. 

Não entendam mal. Não estou falando isso de um modo negativo. Aliás, muito pelo contrário. Fui visitar a vinícola mais importante da região da Criméia, a Massandra. Uma vinícola estatal ( já começa aí nosso estranhamento como bicho capitalista ) com uma história interessantíssima, de filme. 



Cheguei num final de semana, e quando vi, tinha filas e filas de ucranianos para comprar vinho….. ucraniano. Ok, eles tinham um mercado fechado, blá, blá, foram acostumados a consumir produtos nacionais. Mas vai dizer, histórico à parte, pra gente que vem de um país onde os brasileiros tem nojo do próprio vinho, é até emocionante ver uma cena dessas. 

Mas vamos falar do vinho ucraniano mais ou menos como conhecemos hoje. Catarina II, no ano de 1783 anexou a Criméia – região que a Ucrânia faz parte – ao poderoso Império Russo. E bota poderoso nisso. Em 1820 se iniciou, perto da cidade litoranea de Yalta, a plantação dos primeiros vinhedos
pelo príncipe Lev Golitsyn e o Conde Mikhail Vorontsov. As uvas eram de variedades como Semillon ,
Aligote , Pedro Ximenez e Pinot Noir. Logo depois da guerra da Criméia ( 1854-1856 ) começou a produção dos primeiros espumantes locais. Lembrem-se que os russos sempre foram tarados por espumantes. 

A vinícola Massandra (Em ucraniano: Масандра, e em russo: Массандра) foi contruída entre 1894 – 1897, inteiramente com as adegas no subsolo. Isso, inicialmente, foi pensado para manter a temperatura de 12, 13 graus Celsius constantes. Mas depois se mostrou bastante útil: ao longo das revoluções e guerras os túneis foram usados como verdadeiros esconderijos para os vinhos. Muitas coleções e adegas privadas de Czares foram escondidas sob os túneis de adegas muradas durante a revolução. 

Durante a revolução russa e as duas guerras, escadas para andares mais abaixo foram removidas, dando a impressão que não haviam outros túneis abaixo da terra. Boa tática. Esconderam um tesouro de centenas de famílias.

Resultado: hoje em dia a vinícola conta com mais de 1 milhão de vinhos na sua coleção, do mundo inteiro. É uma das maiores coleções de vinhos finos e raros do mundo, de vários tipos e safras que estão registrados no Guinness Book of Records. Guarda em seus túneis inclusive jóias líquidas do século 19 e 18. O Jerez mais antigo ainda “bebível”está em posse da vinícola Massandra, uma garrafa do séc. 18 avaliada em 240 mil dólares. 

Não bastasse isso, o negócio fica ainda mais curioso.

O que se faz quando durante décadas você vive um regime comunista e nada entra em seu país? Bom…. quando o assunto é vinho…. descobri que na Ucrânia, eles reproduzem! rs Sim, eles reproduzem, e reproduzem bem!

Além da coleção impecável de vinhos dos czares – que por si só já é uma história de cinema – a Massandra ( dado importatíssimo, é uma vinícola estatal) faz vinhos do Porto, vinhos Jerez, vinhos Madeira, Tokai, Moscatel. É, vocês leram direito.  Eles reproduziam o método de vinificação com uvas próprias dentro do país, já que não podiam importar. 

E sabe o que é o mais interessante? Os vinhos são ótimos. O Jerez tem característica de Jerez, o Porto tem característica de Porto. E não me perguntem a mágica de como eles fazem. Mesmo por que eu até tentei perguntar, mas a moça que me guiava na excursão pela adega não falava inglês.

É, aparentemente turismo ainda é uma novidade pra eles. Mesmo porque de final de semana a vinícola fica abarrotada de gente local comprando caixas e caixas de vinhos para tomar durante a semana. Sim, ucranianos bebendo e comprando vinhos ucranianos! Parece até o Brasil, não? rsss

A Vinícola Massandra apresenta uma grande variedade de vinhos de sobremesa: Moscatel, Massandra Sul Costa Branca Muscat, Surozh Kokur Sobremesa, Rosa Muscat, Black Muscat, South Coast Pinot-Gris, Bastardo, Ayu-Dag Aleatico, South Coast Cagors, Ay-Serez. 

  

Eles fazem distinção dos licorosos. Entre eles, o Red Stone Branco Muscat, Livadia Branco Mascate, Sobremesa Rosa Mascate e Ai-Danil Pinot Gris. O Black Doctor é um vinho super curioso. Feito com uvas locais da Criméia (Ekim-Kara, Kethessia, Capita-n-Kara, Lapa-Kara, Metin-Kara), era considerado “medicinal”. Por isso o apelido. 

 

http://www.massandra.co.uk/
 

5/11/2013
Comente Compartilhe
×
Contact

Rua Professor Atilio Inocenti, 811,
Vila Nova Conceição, São Paulo

Telefone:
11. 3846-0384

WhatsApp:
11. 95085-0448

We recommend making reservations - Tables above 6 people only with previous menu reservation