Divagações

VINTE & NOVE……

Ahh! Aniversario.
Confesso que já fui mais animada nessa data. Não, nada a ver
com depressão pré- balzaquice, crise de idade ou medo do mundo acabar. Nada
disso. Mas acho que com o passar do tempo você acaba dando mais valor a
comemorações menos barulhentas e regadas a destilado do que quando você era
mais novo.
 
 
Ainda estou ensaiando um encontro com meus amigos ( que se
juntar todo mundo nao completam os dedos da mao, como todos os bons amigos ).
Mas terca feira? Poxa, nao é dos dias mais convidativos. Estou com saudade
deles. Mas como diria Caetano, nao sei se por preguiça ou se por covardia,
acabei nao fazendo nada. Mesmo porque metade esta com filho pequeno e a outra
metade tem que acordar cedo, portanto…. quizas, quizas eu consiga juntar todo
mundo no final de semana. Senão, também nao tem problema. Amigo é assim mesmo,
a gente se encontra em datas nao-festivas com a mesma alegria das datas
festivas.
De qualquer maneira, não da pra negar que ando mais calminha
nos últimos anos. Pois é, por incrível que pareça. Quem deu risada agora é
porque nao me conheceu na adolescência… hahaha… e sabe, não é brincadeira
aquilo que sempre me falaram: você quer crescer, quer crescer, quer ser adulto.
E de repente você virou adulto e nem percebeu quando isso aconteceu. E talvez
seja isso mesmo, a grande sacada da vida é nao ter uma definição de fases.
Quando você viu, pronto, já passou por uma delas.
Vinte e nove?! Cacete! Tem amigos que eu converso e já
começamos a lembrar os fatos em 10, 15 anos. E não é então  que também é verdade que o tempo passa
num piscar de olhos?! Rsss ultimamente estou vendo que todos os lugares
comuns  que sempre nos disseram é
realmente verdade.
Se existe alguma coisa de que eu possa me orgulhar,
entretanto, é que nunca tive nenhuma crise de idade. Podem me matar por isso,
mas a verdade é que nunca vi graça na tão exaltada juventude. Juro, nunca.
Poetas escreveram sobre a juventude. Escritores imortalizaram os vinte anos.
Ah, por favor, que nostalgia hipócrita. Sou muito mais eu agora do que quando
eu tinha 19 anos. Vinte anos? Ah, por favor, tirando um ou outro, você quase
não consegue conversar com alguém de vinte anos. Muito mais nos dias de hoje,
em que a adolescência dura ate os 35 anos…. rsss.
 
 
Acho que eu já nasci velha. Embora tenha sido uma crianca extremamente feliz. 
Nunca tive muita paciência para
as bobeiras e inseguranças dessa fase, a “juventude”. Alias, nem para as minhas próprias. Por
isso que eu gosto tanto de cada ano que eu ganho. A carga de maturidade, de
sabedoria e de visão do mundo é impagável, e sinceramente, é o que mais me
encanta nas pessoas e é o que eu mais me orgulho de adquirir com o tempo.
As rugas, o corpo que não é o mesmo, o cabelo que não brilha
tanto? Os anos perdidos que não voltam mais? Por favor, isso é coisa de gente
que se sente mal lendo revistas de beleza.
 
 
Dizem que uma hora a crise da idade vai bater. Que eu vou
querer fazer uma lipo, sair com menininhos de 20 anos e chorar na frente do
espelho com uma ruguinha nova no canto do olho.
Vai saber? Talvez um dia chegue, mesmo. Não da  pra saber.
Mas por enquanto, fico feliz em me sentir mais eu mesma do
que nunca. A nossa melhor fase é sempre a que a gente esta. E ponto final.
 
Que venham mais 29. 
26/9/2012
Comente Compartilhe
×
Contact

Rua Professor Atilio Inocenti, 811,
Vila Nova Conceição, São Paulo

Telefone:
11. 3846-0384

WhatsApp:
11. 95085-0448

We recommend making reservations - Tables above 6 people only with previous menu reservation