Divagações, Vinhos

Industrialização na comida e no vinho.

14434943_1128488477188032_194029130843255271_o

O que aconteceu com a industrialização da comida foi exatamente o que aconteceu com o vinho. Passamos de plantar, colher e cozinhar produtos locais para se abastecer de produtos já prontos em supermercados. Muito se adicionou, muito de modificou e muito se perdeu nos alimentos. Perdemos variedades, perdemos texturas, perdemos densidade nutricional – em prol de um sistema Agricola baseado em grande escala, produtividade e insumos agroquímicos.

Obviamente a gente come todo dia, várias vezes ao dia. A comida está mais presente no nosso cotidiano brazuca do que o vinho.

Mas não podemos simplesmente ignorar o fato de que no vinho aconteceu a mesma coisa.

O que antes era uma profusão de vinhos familiares, feitos de forma rudimentar e bastante próxima ao natural, foi se tornando parte de um comércio que hoje é industrial. Os vinhos são realmente “fabricados” dentro das vinícolas. As plantações são monoculturas extensivas tratadas com insumos químicos. O vinho é feito à base de modificações de cor, fermentação, adição e retirada de vários componentes, para se transformar em um produto mais aceito pelo mercado, sem margens de risco, padronificado e lucrativo.

Quer comer bolacha recheada? Vai em frente. Quer tomar vinho convencional? Seja feliz.

Mas saiba o que você está fazendo. Se aprofunde. Veja como são feitos os alimentos e bebidas que você põe pra dentro do seu corpo.

E se eu te falar que aquela ressaca horrível de vinho tem mais a ver com o fato dele ser industrial do que com o álcool propriamente dito? Pois é. Mais pura verdade. Mas pouca gente sabe.

O vinho deixou de ser um alimento para se transformar em um produto alimentício. Assim como nossa comida.

Mas cabe a alguns chatos ficarem batendo na tecla, apenas mostrando o que realmente são esses produtos. O que tem, como são feitos.

Todo mundo que se dá conta da quantidade de aditivos e modificações existentes nos produtos industriais – vinhos idem – acaba migrando mais ou menos rápido para produtos orgânicos, artesanais, locais. Para vinhos orgânicos, biodinâmicos, naturais.

A verdade é que com informação, as pessoas sabem fazer as escolhas certas.

29/9/2016
Comente Compartilhe
×
Contato

Rua Professor Atilio Inocenti, 811,
Vila Nova Conceição, São Paulo

11. 3846 03 84

Não aceitamos cartões de crédito e cheque - Recomendamos reservas antecipadas - Mesas acima de 6 pessoas somente com reserva prévia de menu